NOTA DE ESCLARECIMENTO INICIAL

Somos COLORADOS e estamos preocupados com os rumos do CLUBE DO POVO. Por isso criamos este blog. Nosso maior objetivo é resgatar a alma do Sport Club Internacional, cujos alicerces estão fincados nas classes populares, que sempre deram sustentação e transformaram o INTER no GIGANTE que ele é.


O Inter NÃO nasceu em 2002!!!



segunda-feira, 31 de maio de 2010

SEM TÉCNICO E SEM RUMO - CADÊ O PLANEJAMENTO?

A saída de Jorge Fossati do comando do Inter era iminente - pelos maus desempenhos do time, embora resultados até certo ponto razoáveis, como na libertadores, e pela relação atritada com a imprensa e desgaste com parte da torcida por conta da teimosia do uruguaio em escalar determinados jogadores e na formatação equivocada do time como um todo. Fossati não era, todavia, o grande vilão nessa história. Eu me arrisco a dizer que ele era vítima, tão vítima quanto nós colorados, de uma completa falta de planejamento (palavra tão cara à atual gestão) dos dirigentes que comandam o Inter há quase uma década.

Eis um trecho do livro “De Belém a Yokohama”, do Fernando Carvalho:

“Saída de treinador é sempre uma coisa problemática, ainda mais para nós, que damos valor para o planejamento de longo prazo, para a visão estratégica. (CARVALHO, 2009, pp. 112-114)"

Colorados, já são 14 treinadores em 9 anos, o que dá uma média de mais de um técnico por ano no comando do Inter. Eu pergunto: CADÊ O PLANEJAMENTO DE LONGO PRAZO??? ONDE ESTÁ A VISÃO ESTRATÉGICA DO SR. FERNANDO CARVALHO???

Fossati, bem ou mal, nos deixou na semifinal da Libertadores para enfrentar o São Paulo (este sim um clube que tem planejamento e dá continuidade ao trabalho dos treinadores que eles contratam por convicção). Mesmo assim, quase todos os colorados e a imprensa apontavam problemas no time do Inter e na forma como ganhávamos as partidas (aos trancos e barrancos). Mas o Sr. Fernando Carvalho e a direção que ele sustenta teimavam em dizer que estava tudo bem. Até que a situação ficou insustentável e demitiram o comandante uruguaio. Onde está a convicção do Sr. Fernando Carvalho? Ou era mera teimosia e arrogância, como no caso Fernandão?

Por sorte, temos esta parada para a Copa do Mundo e o Inter poderá arrumar a casa. Tempo não falta. Nem dinheiro. O que falta é convicção, planejamento e atitude dos dirigentes! Especula-se que o Inter estaria apostando alto na contratação do técnico gremista Luiz Felipe Scolari (é, parece que não aprenderam nada com os erros homéricos dos últimos dois anos...). Tal contratação obrigaria o Clube a desembolsar uma quantia astronômica - cerca de 700 mil reais, segundo dados veiculados na imprensa.

É público e notório que o grupo do Inter carece de alternativas, de jogadores diferenciados, sobretudo no ataque. Ora, por mais competente que seja o Luiz Felipe ou qualquer outro técnico, técnico não faz gol! Quem faz gol, em regra, é o centroavante! Então, de nada adiantaria contratar um treinador renomado (mesmo que ele não seja capaz de ganhar da gloriosa Grécia na estréia nem na final da Eurocopa, jogando em casa...) se o time não for reforçado. Com a quantia que esta direção trapalhona está disposta a desembolsar na contratação de um grande treinador seria possível contratar 2 (dois) centroavantes de alto nível para, estes sim, resolverem o problema do Inter.

Quando o Fred, jogador em nível de seleção, estava retornando ao futebol brasileiro dizia-se que ele era muito caro (cerca de 500 mil reais). O Nilmar foi vendido por uma quantia irrisória. Mas trouxeram Edu e Kléber Pereira que custam quase a mesma coisa e o retorno é zero. Para fazer um comparativo entre treinadores, basta lembrar que Luxemburgo e Muricy, dois dos técnicos mais vitoriosos do Brasil e do futebol, estavam livres, desempregados há bem pouco tempo e num momento em que o Inter precisava de um técnico experiente, motivador, vencedor como agora. Lembram o que os atuais dirigentes falaram naquele momento? A desculpa para não contratar Luxemburgo e Muricy foi o alto salário de ambos. E trouxeram o Fossati, uma aposta. Hoje o Inter está sem técnico e sem rumo, por total falta de convicção e planejamento dos nossos dirigentes.

Vejam a incoerência que impera no Beira-Rio: Luxemburgo e Muricy não foram contratados por serem caros (será que foi só por isso?), mas agora estão dispostos a pagar bem mais caro para contratarem o Luiz Felipe Scolari, gremista de quatro costados e que não ganha na hora "H" (vide final do intercontinental em 1995 e 1999 e final da eurocopa em 2004).

Colorados, reflitam: o que é mais importante para o Inter neste momento, um técnico renomado (apesar dos tropeços citados acima), custando uma fortuna, ou um centroavante matador, capaz de resolver a inoperância e ineficiência do ataque colorado?

2 comentários:

  1. O Cláudio Bier está na Guaíba agora (21h15min) defendendo a ideia de que seja contratado o Nélson Baptista. O pior de tudo é que eu ouço falar também no outro Baptista, o atual técnico do Cruzeiro, para substituir o Fossati. Qualquer um dos dois que seja contratado motiva uma revolução contra a direção, mas no caso do primeiro, o Conselho Deliberativo deve abrir um processo de impeachment contra o presidente. O simples fato de citar o nome desses sujeitos é um desrespeito com torcida e com a história do Internacional. E o que é mais triste: o único nome absolutamente vetado pelo FC foi o do Falcão, ou seja, quanto a esses dois Baptistas não há nenhuma manifestação. Pois o presidente já deveria ter vindo a público desmentir essas possibilidades e exigir que a imprensa pare de referir esses absurdos. Como não há nenhuma voz oficial que se levante contra isso, passo a acreditar que não é meramente notícia plantada.

    ResponderExcluir
  2. Fora fernando carvalho e CIA!!!

    ResponderExcluir

Comentários não identificados poderão não ser publicados.
Comentários contendo ofensas pessoais a outras pessoas, que não os administradores do blog, não serão publicados.